segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Motivação



Todo mundo que começa um novo projeto tem aquela empolgação inicial, aquela sensação de que daqui a pouco tudo vai estar do jeito esperado, aquela energia inabalável que se abala depois de algumas semanas. O ideal seria que essa energia durasse o tempo necessário para a aprovação, mas a realidade é outra. É preciso alimentar a motivação diariamente para não correr o risco de desistir e “morrer na praia”.

Que bom! Mas como fazer isso? Olha, se tem um aspecto ultrassubjetivo na preparação pra concurso, é a motivação. Cada um se sentirá motivado por coisas diferentes, e isso faz parte do autoconhecimento. Talvez você já saiba exatamente suas motivações, mas talvez vá descobrindo ao longo do tempo. O importante é buscar o que move você e exercitar isso constantemente.

Em primeiro lugar, por que está estudando pra concurso? Quer se casar? Sair de casa? Melhorar o salário? Comprar um apartamento? Ter status? Estabilidade? Bom, faça uma lista de tudo o que fará com que se sinta realizado quando conquistar seu objetivo, tudo de bom que decorrerá da concretização desse sonho. Deixe suas anotações em um local acessível, para que você possa lembrar a si mesmo de vez em quando.

Mas como eu sou uma pessoa muito “fotográfica”, ainda faço montagens com fotos das coisas que quero realizar – e que serão possibilitadas pela aprovação num concurso. Pode ser viagem, coisas materiais, sossego, casamento, festas, enfim... tudo aquilo que eu associe à aprovação de maneira positiva. Costumo deixar essas montagens em lugares bem visíveis (como o descanso de tela do meu computador). É sempre bom visualizar aquilo que traga sentimentos bons em relação ao que se está fazendo no momento.

Vai dizer que não dá vontade de estudar pra Câmara só de pensar nas viagens, compras, spas, cruzeiros etc etc etc? Pode colar o seu na parede, deixar do lado da cama, no teto, no caderno, na capa da Constituição...


Também gosto muito de ver filmes com histórias de grandes conquistas, grandes realizações, de pessoas que superaram diversos obstáculos na vida, de finais felizes (por favor!). Podem ser longas ou filmes curtos, com mensagens positivas, ou palestras, histórias de sucesso. Costumo absorver muito do que vejo e tento trazer tudo para a minha experiência pessoal. “A Procura da Felicidade” é um filme que me motivou bastante desde o início, mas é só um exemplo – que eu até já mencionei antes. Cada um se sente tocado por alguma coisa diferente.

O mais importante, porém, não é nada disso que eu disse até agora. Todas essas dicas dizem respeito a você visualizar o fim, a chegada, a aprovação e seus resultados. Mas e aí? Você vai adiar todos os seus prazeres e alegrias até que venha a nomeação?

Você deve buscar satisfação no processo de se preparar para o concurso desejado. Não adianta só saber que, daqui a um ano, você estará feliz e empossado em um cargo público. É preciso encontrar alegria e prazer no caminho até chegar lá, no ato de estudar, nas suas conquistas diárias.

Lembre-se do quão privilegiado você já é, apenas por estar estudando – por conseguir assimilar conhecimento, por saber ler, por ter ensino fundamental/médio/superior/o que seja, por dispor de algum tempo, por ter tomado essa iniciativa de lutar por um sonho. Aprenda a apreciar a leitura, procure variar seus métodos de estudo e descobrir os que mais te agradam (ouvindo aulas, falando, fazendo resumos, lendo, estudando em grupo), estude ouvindo alguma música de que goste, ou comendo algo gostoso (pipoca, por exemplo – só não vai abusar!).

Sim, tem horas que só o brigadeiro resolve. E não, eu não comi tudo sozinha.


Acompanhe seu desempenho diário, verificando os pontos do edital que já foram vencidos por você, o quanto você já progrediu em termos de nível de acerto de questões, quantas horas da sua semana já foram cumpridas. Imprima o conteúdo programático do edital e vá marcando um “check” nas matérias já estudadas, e aos poucos aumentará a sensação de dever cumprido. Anote diariamente o seu desempenho, indicando se cumpriu seu quadro de horários, quantas páginas lidas daquele livro que você precisa terminar, quantas questões resolvidas, percentual de acertos...

Eu costumo calcular, após a montagem do meu quadro horário de estudos, quantas horas terei estudado no total, até a prova desejada – para isso, vejo quantas semanas faltam para o “dia D”. Por exemplo, digamos que tenho 230 horas de estudo até determinado concurso; assim, sei que a cada dia que cumpro meu quadro horário, estou mais próxima desse total, e passo a valorizar cada hora de estudo como uma contribuição para o total. Uma hora pode parecer pouco, mas fará toda a diferença ao final da preparação.

E pode ser que, ainda assim, seguindo todas essas dicas, você tenha aqueles “dias de cabelo ruim”, em que parece que você nunca vai passar, que todo mundo aprende menos você, enfim... Nessas horas, tenha paciência. Não fique se crucificando por não ter rendido 100% num dia. Se estiver impossível se concentrar, vá dar uma volta, faça algum exercício ou até tire o dia para descansar e fazer algo totalmente diferente, se for o caso... dê tempo a si mesmo. É normal, e daqui a pouco passa. O importante é recuperar o fôlego para retomar, cumprir suas metas e chegar à prova sabendo que fez o seu melhor.

3 comentários:

  1. Muito bom!
    Dicas excelentes como sempre. Obrigada por compartilhar!
    Beijão ,meu amor!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, flor!!!
    Que bom que vc tá gostando!
    Depois se tiver algum assunto q eu ainda não falei, me avisa que vou escrevendo :D aceito sugestões
    Beeeijo!!!

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pelas dicas.

    ResponderExcluir

Deixe sua dica também! Ou dúvida, desabafo, experiência...